quinta-feira, 13 de maio de 2010

A TECNOLOGIA QUE DEIXOU DE SER TECNOLOGIA!


[...]Quando a expressão “Tecnologia na Educação” é empregada, dificilmente se pensa em giz e quadro-negro ou mesmo de livros e revistas, muito menos em entidades abstratas como currículos e programas. Normalmente, quando se usa a expressão, a atenção se concentra no computador, que se tornou o ponto de convergência de todas as tecnologias mais recentes (e de algumas antigas). E especialmente depois do enorme sucesso comercial da Internet, computadores raramente são vistos como máquinas isoladas, sendo sempre imaginados em rede – a rede, na realidade, se tornando o computador.

Faz sentido lembrar aos educadores o fato de que a fala humana, a escrita, e, conseqüentemente, aulas, livros e revistas, para não mencionar currículos e programas, são tecnologia, e que, portanto, educadores vêm usando tecnologia na educação há muito tempo. É apenas a sua familiaridade com essas tecnologias que as torna transparentes (i.e., invisíveis) a eles.



O texto acima extraído de um artigo escrito por Eduardo O C Chaves, nos remetem as afirmativas utilizadas para definir tecnologia na educação. Sem perceber acabamos evidenciando as novas tecnologias e deixamos de lado as “velhas”, que em muito, nos auxiliou por muitos anos. Exemplo clássico destas tecnologias são os livros que utilizamos em sala de aula. Só de imaginar estes livros escritos em pergaminhos ou papiros, tenho certeza que não conseguiríamos realizar as manutenções necessárias, para que estes tivessem uma longa duração. A tecnologia se faz necessária, mas compreendamos que os bons e velhos aliados – livros, quadro, giz – ainda pode proporcionar uma educação de ótima qualidade.

DRIELLY PATTY DA SILVA ANTERO, grupo 3, noite.

Artigo disponivel em:
http://www.chaves.com.br/TEXTSELF/EDTECH/tecned2.htm

6 comentários:

  1. Mesmos com os atuais recursos tecnológicos existentes e interessante sabe que a aulas tradicionais com quadro e giz e livros também e muito importante e não devem ser deixado de lado mas devem ser aliado a eles.
    vanessa camelo

    ResponderExcluir
  2. Muito pertinente sua colocação Drielly, é preciso estar sempre reforçando a idéia do que realmente é a tecnologia, até mesmo pra desmistificar o bicho de sete cabeças que é criado por muitos acerca do uso de tecnologia nos dias atuais.
    Semíramis Linhares

    ResponderExcluir
  3. Jôse Almeida, Grupo 3, Noite7 de junho de 2010 19:46

    Realmente quando falamos em tecnologia nos direcionamos ao computador ou algo de ultima geração, e acabamos por esquecer as tecnologias simples que estão no nosso cotidiano exemplos clássicos destas tecnologias são: a televisão, o vídeo, o DVD, o telefone e sem falar no celular que oferece todas essas funções.

    ResponderExcluir
  4. Não podemos depositar toda a transmissão do aprendizado nas tecnologias, pois as outras formas de transmitir o conhecimento são importantes, e proporciona o aprendizado! Não é só as novas tecnologias que podem ajudar a construir o saber... Pois existem outros métodos claros e fáceis que apenas com o ouvir obtemos informação que são preciosas para a construção do saber!
    Roberya Viana / G6 / tarde - turma 2

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente,muitos professores estão se apropiando do computador como se fosse a única ferramenta de ensino,esquecendo-se da importância dos bons e velhos livros e revistas. Estes, por sua vez, na minha opinião,são insubstituíveis para se ter um bom conhecimento, no entanto, é notável reconhecermos o grande valor das novas tecnologias no processo educativo.
    Flaviane caxias, 3º período,noite.

    ResponderExcluir
  6. Bom Drielly, concordo que os materiais tradicionais (livros, lápis, giz, quadro-negro, entre outros) proporcionam uma educação de qualidade. Mas, no que diz respeito à conservação dos livros, quando você diz: “Só de imaginar estes livros escritos em pergaminhos ou papiros, tenho certeza que não conseguiríamos realizar as manutenções necessárias, para que estes tivessem uma longa duração.” me faz pensar que você acredita que não teríamos condições técnicas de conservar tais materiais, o que está errado! Temos inúmeras técnicas de preservação e conservação para esses materiais, e estas são aplicadas desde o surgimento da escrita, quando o homem sentiu a necessidade de registrar os momentos de sua rotina. Mas no que concerne a praticidade e a forma de reunião de informações o livro sem dúvida é o mais indicado e tratando-se de tecnologia, encontramos muitos sites, a exemplo do Google books, que disponibilizam livros em formato digital para visualização ou outros sites que possibilitam o download desde arquivo. Então, não devemos banir a tecnologia nem tão pouco desprezar o tangível – o material, deve-se haver uma interação entre os mesmos.

    Petrônio Pereira. 3ºP – Noite

    ResponderExcluir

Dialogue conosco, registre seu comentário