quarta-feira, 3 de agosto de 2011

A brancura operacional de Baudrillard

REFERÊNCIA: BAUDRILLARD, J. A brancura operacional. In: ______. A transparência do mal. Ensaios sobre os fenômenos extremos. 7. ed. São Paulo: Papirus, 2003, pp. 51- 57.


Nesse texto, Baudrillard propõe uma crítica à dissolução da negatividade, empreendida pela comunicação a partir da simulação e da instalação de uma transparência definitiva, que ele denomina de brancura operacional. O autor argumenta que o embranquecimento, perseguido no campo da comunicação, manifesta-se também em outras dimensões da atividade humana criando uma socialidade e uma corporeidade brancas, numa espécie de assepsia total.
Trata-se de uma operação que tem como objetivo expurgar a negatividade do real e criar o hiper-real perfeito e transparente. Tal investimento na esteticização da vida em todos os seus aspectos e dimensões pode ser observado, por exemplo, na organização das vias de locomoção das grandes cidades de modo a tornar invisíveis os espaços que revelam as mazelas sociais e evidenciar os não-lugares como shopping center e aeroporto.
O caráter operacional é buscado por meio da submissão aos critérios de conveniência e compatibilidade máxima. Nesse contexto, “ser operacional” é resultado de um processo de instrumentalização de tudo e de todas as coisas. De modo que, não é a ação que está no comando, mas é ela que precisa ser comandada e controlada, de acordo com finalidades específicas e pré-definidas.
Esse comando da ação é operado por persuasão ou dissuasão, sobretudo midiática, que produz modelos de vontade e cria necessidades que alimentam a produção e o consumo no sistema capitalista. Nesse sentido, o comer, o querer, o saber, o fazer, o gozar são provocados ininterruptamente nas pessoas e, desse modo, a ação sofre um esvaziamento de sentido. É o próprio “eu” que, esvaziado de sua essência, torna-se transparente e pode ser atravessado pela informação e pela operacionalidade, transformando-se em “instrumento”. Processo esse de coisificação do humano que promove a perda de seu protagonismo na ação e na história.
Sendo assim, a busca pela performance tem na razão instrumental o suporte para determinar as fórmulas de perfeição/brancura que garantem o sucesso da ação, agora e sempre em função dos resultados e dos fins estabelecidos. Desse estado de coisas, o autor denuncia os maus presságios que já se revelam na existência humana contemporânea. Como exemplo, ele destaca os males e as doenças que acometem atletas e profissionais funcionais e performáticos. Os problemas decorrentes de treinos excessivos, as doenças ocupacionais, os distúrbios psicológicos, o comprometimento das relações sociais e a perda do sentido e do prazer que alimentam a pulsão de vida.
Contudo, é esse mesmo “desejo”, ameaçado e controlado na perspectiva apocalíptica de análise de Baudrillard, que permite a ruptura da lógica perversa que governa esse sistema. É a “vontade de sentir” que subverte o controle empreendido pelo sistema e potencializa a busca humana pelo que é possível em realidade. Por mais branco e perfeito que possa ser o hiper-real, à custa do esvaziamento de conteúdo e de sentido e da eliminação da diferença produz uma estética vazia, um nada que é consumido sem sabor, sem sentido e sem prazer, que serão mais cedo ou mais tarde cobrados pelo “desejo”, pela pulsão de vida que provoca a saída do hiper-real e o retorno a uma realidade possível.

Para compreender melhor a brancura operacional, assista ao filme "O show de Truman".

3 comentários:

  1. Quero parabenizar pelas ótimas informações postadas aqui gostei muito do site realmente é muito intuitivo e fácil navegação já sou um de seus seguidores tenho um blog e pelo lhe que acesse também e se possível se torne um seguidor o endereço é http://maisword.blogspot.com

    Desde já agradeço, e estou sempre aberto a boas parceiras.

    Érico Junior

    ResponderExcluir
  2. Olá gosto muito das informações do seu blog já estou te seguindo
    tenho um blog também e gostaria que você me seguisse também o endereço é
    www.maisword.com Agradeço e mais uma vez parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Participe do 3º Seminário Nacional de Inclusão Digital – Senid, de 28 a 30 de abril de 2014. Venha compartilhar conosco experiências e aprendizados sobre inclusão digital! Inscreva-se, mande seu trabalho, divulgue sua experiência, venha conhecer o que o mundo da tecnologias digitais pode oferecer como recurso didático para as mais variadas áreas! Submissões de trabalhos abertas em http://senid.upf.br/2014/submissao-de-trabalhos/ até o dia 31/10/2013. Esperamos por vocês !

    Site do Senid: http://senid.upf.br.
    E-mail do Senid: senid@upf.br
    Twitter do Senid: http://twitter.com/senid_upf
    Facebook do Senid: http://www.facebook.com/senid.upf
    Submissão de trabalhos: http://senid.upf.br/2014/submissao-de-trabalhos/
    Inscreva-se em: http://bit.ly/18pqFJa

    ResponderExcluir

Dialogue conosco, registre seu comentário